Produção Gráfica #28: Offset plana e rotativa

No último artigo falamos sobre impressão offset e os seus processos. No artigo de hoje vamos explorar um pouco mais o assunto falando a respeito dos diferentes tipos de equipamentos disponíveis para impressão offset.

Este artigo faz parte da série Produção Gráfica. Clique no link e leia todos os capítulos que já foram publicados.

De modo geral as impressoras offset podem ser do tipo planas ou rotativas. A diferença se dá em como ocorre a alimentação do papel na máquina. As impressoras planas usam papel em folhas soltas, como uma impressora doméstica. Já as rotativas são alimentadas por bobinas.

Impressora offset plana ©Shutterstock

Entretanto, esta é apenas a diferença que fica visível quando você olha para o equipamento, existem muito mais diferenças entre elas, principalmente no que tange a velocidade da impressão, no tipo de papel que pode ser usado e também na qualidade da impressão.

Impressora offset rotativa ©Shutterstock

As impressoras do tipo rotativa são mais utilizadas para tiragens muito altas, centenas de milhares de unidades podem ser rodadas a um custo muito baixo. Apesar de também serem usadas para tiragens consideradas maiores, as impressoras planas tem uma capacidade e velocidade menores se comparadas com as de bobina.

Máquinas planas

Esta é uma impressora Offset plana de uma cor

A maioria dos projetos gráficos que vemos rodando pelas ruas como panfletos, cartões de visitas, folders, etc. são feitos em impressoras planas. Elas são mais comuns em gráficas de pequeno e médio porte pois são mais baratas, exigem menor custo de instalação e são menores se comparadas com impressoras rotativas. As impressoras planas também são conhecidas como “máquinas de folha” ou “impressoras de folha”.

Apesar disso, existem equipamentos de diferentes tamanhos, podendo serem classificados como de grande, médio e pequeno porte. Anteriormente, a qualidade da impressão estava relacionada ao tamanho do equipamento. Excluindo-se as exceções, quanto maior o equipamento, melhor era a sua qualidade.

O avanço tecnológico tratou de mudar esta realidade. Hoje, equipamentos de pequeno porte possuem os mesmos recursos presentes em impressoras mais robustas, trazendo qualidade independente do seu tamanho.

Embora as tecnologias mais recentes tragam vantagens evidentes, efetuar a troca de um parque gráfico é algo muito caro, por isso é comum encontrarmos gráficas que possuem equipamentos antigos rodando a todo vapor. As máquinas gráficas são verdadeiras obras primas e podem durar gerações.

Sendo assim, as impressoras planas podem ser classificadas hoje em dia tanto pelo seu porte quanto pelo seu grau tecnológico. É importante lembrar que mesmo um equipamento com tecnologia de ponta não fará o trabalho sozinho, por isso, o operador também deve ser capacitado e treinado para utilizar os seus recursos.

Dentro desta realidade, é bem comum que gráficas usando equipamentos de tecnologia considerada ultrapassadas consigam entregar resultados com qualidade superior, mesmo que seja necessário um prazo um pouco maior para isto.

As máquinas planas podem ser divididas em: pequeno offset, 1/4 de folha, meia folha e de grande porte. Com exceção do pequeno offset e dos modelos mais recentes que incorporam a tecnologia do CtPress, elas são formadas pelo menos por três grandes componentes:

  1. Unidade de entrada
  2. Grupos, unidades ou módulos de impressão (castelos)
  3. Unidade de saída

Os castelos correspondem ao número de tintas (ou cores) com as quais a máquina imprime simultaneamente. Na figura abaixo você pode ver um diagrama simplificado destes componentes. A imagem representa o que seria uma impressora offset plana para 4 cores (ciano, magenta, amarelo e preto).

Diagrama simplificado dos componentes do offset plano

Pequeno offset

Impressora offset de mesa

São máquinas utilizadas para produção de material de baixo custo como folhetos, notas fiscais (quando eram úteis), recibos, notas promissórias e outros impressos padronizados. São do tipo mesa e podem imprimir em formatos oficio ou duplo ofício. Os modelos mais tradicionais pertencem à marca Multilith e geralmente são referidas pelo nome da marca.

Este tipo de impressora imprime apenas em traço e há várias recomendações sobre isso, como a de que seus traços não ultrapassem 1cm para evitar falhas e manchas por causa da má distribuição de tinta do equipamento. Imprimem em um acor o uno máximo duas, mas de forma bem rudimentar por causa da falta de bons controles de registro.

1/4 de folha

Estas são as mais comuns em gráficas de pequeno e médio porte. Alcançam velocidades relativamente altas (até 15mil filhas por hora), têm qualidade de impressão muito boa. Compatíveis com chapas em CtP (ou mesmo equipadas com CtPress) e dotadas de controle informatizado e outras inovações.

Entre as suas vantagens estão o seu rápido acerto de máquina que consiste no ajuste da quantidade de tinta e umidade, da posição do papel e da chapa entre outros, conhecido como “setup de máquina”. Estas vantagens refletem no custo final para o cliente, já que o total de horas/máquinas (principal parâmetro usado na definição de preço) é menor.

Máquinas de meia-folha e de grande porte

Impressora meia folha

Como o nome sugere, estes equipamentos são diferenciados pelo seu grande porte e também a largura do papel que suporte. Máquinas de meia-folha tem área de impressão mais ou menos da metade da folha dos formatos de fábrica mais comuns (algo próximo de 90x70cm). Por isso, quando os pacotes de papel são abertos na gráfica, as folhas têm que ser cortadas ao meio.

Máquinas de meia-folha permitem uma boa qualidade de impressão mas exigem maior atenção e intervenção do impressor e tem uma velocidade menor. Este tipo de máquina não dispõe de recursos de acabamento, que tem de ser feito a parte, após a saída do trabalho da máquina.

As impressoras planas de grande porte permitem a entrada do papel sem a necessidade de corte, recebendo a folha inteira. Uma característica presente neste tipo de equipamento é a “reversão”, ou seja, a possibilidade de impressão frente e verso de maneira simultânea.

Impressora de grande porte

Em geral, realizam também diferentes etapas do acabamento como dobra, corte, e alguns tipos de encadernação.

Máquinas rotativas

Este tipo de equipamento é encontrado geralmente em gráficas de grande porte ou nas gráficas próprias de jornais. Sua maior característica é a alta velocidade de impressão graças a alimentação contínua do papel (bobinas) e também a impressão simultânea em ambos os lados do papel.

Não a toa os grandes jornais as empregam em sua linha de produção, podem efetuar em altíssima velocidade as etapas de acabamento mais importantes, como dobra, corte e até mesmo encadernação, tudo isto está associado ao baixíssimo custo de impressão.

Não são adequadas para baixas tiragens já que o seu ajuste acontece com o equipamento ligado e o ritmo é frenético. No ajuste, centenas de cópias são rodadas e uma parte é descartada enquanto outra pode ser incorporada a tiragem final, dependendo da qualidade.

As impressoras rotativas podem ser dividas em três grandes grupos:

  1. Pequenos jornais: Utilizadas em gráficas de jornais de pequeno porte que utilizam o equipamento em horas ociosas para rodar materiais diversos, como folhetos entre outros.
  2. Headset: Impressora com alta qualidade de impressão e que suportam papéis melhores como os revestidos. Seu nome se dá ao fato de possuírem fornos para a evaporação de solventes das tintas. Este equipamento não é indicado par impressões em quantidades menores e só é utilizado em impressões com grande quantidade de tiragens com revistas, jornais, tabloids ou material promocional em larga escala.
  3. Coldset: Mais utilizadas em grandes jornais, possui qualidade superior para impressão em policromia principalmente em papel de imprensa. O nome se dá por causa dos equipamentos de refrigeração usados para a maior fixação da tinta no suporte.

Separei abaixo algumas imagens de impressoras rotativas. Veja como são equipamentos bem robustos e que exigem um bom espaço para armazenamento e operação:

Veja esta impressora rotativa gigante em ação. Este tipo de impressora é do tipo Web (nomenclatura usada para designar impressora de porte gigante):

Neste outro vídeo você poderá ver várias máquinas rotativas em ação:

Não deixe de acompanhar todos os artigos da série produção gráfica. Nos vemos no próximo post!

Compartilhe este artigo:

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
Como calcular tamanho de impressão, resolução de imagem e resolução de saída

Como calcular tamanho de impressão, resolução de imagem e resolução de saída

Quantos pixels deve ter uma imagem que vai ser impressa com 10cm a 300dpi de resolução? Tenho uma imagem de…
Como calcular tamanho de impressão, resolução de imagem e resolução de saída?

Como calcular tamanho de impressão, resolução de imagem e resolução de saída?

Quantos pixels deve ter uma imagem que vai ser impressa com 10cm a 300dpi de resolução? Tenho uma imagem de…
Como dar um boom na sua criatividade?

Como dar um boom na sua criatividade?

Podemos dizer que a criatividade é como um músculo: quanto mais exercitamos, mais forte fica. Assim como o tecido muscular,…
Manual do mundo mostra como são feitos os cadernos

Manual do mundo mostra como são feitos os cadernos

O Manual do mundo, um canal dedicado em experimentos e curiosidades publicou um vídeo mostrando como são feitos os cadernos.…
Fechar Menu