Sentimentos e UX: como eles influenciam nos nossos projetos?

Para melhor ou pior, trabalhar como UX significa estar em contato com os sentimentos dos usuários. Precisamos entender a emoção por trás de cada passo, da jornada do usuário para proporcionar uma experiência incrível.

Este é um texto traduzido do blog UX Design. Para visualizar o artigo original clique aqui.

Reconhecer e gerenciar cada sentimento não é o suficiente para simpatizar e ter alguma inteligência emocional, mas também precisamos de conhecimento. É por isso que muitos profissionais de outras áreas, como psicologia ou sociologia, acabam se tornando profissionais de sucesso em UX.

Independentemente disso, você pode fazer um trabalho incrível sem ter uma especialização. Tenha em mente:

Os sentimentos não têm um único idioma, são universais.

É óbvio que todos nós temos experiências e histórias para contar, mas:
Como influenciam nos nossos projetos?

E mais importante:
Como podemos usá-los de uma forma que não nos separe da realidade dos nossos usuários?

Bem, como sabemos:

“A virtude é o meio feliz entre dois extremos”
Aristóteles

Separe suas experiências de seus usuários e use-as para sua vantagem

Quanto mais você viver, mais de perto você verá seus usuários. Passar por muitas experiências e ter aprendido com elas vai fazer você entender as outras pessoas de uma maneira melhor.

Deixe-me dar um exemplo bobo:

Nos estágios iniciais do projeto, como pesquisa, entrevistas … você pode aproveitar suas experiências com seus usuários, detectando o sentimento envolvido no processo e gerenciando-o adequadamente.

Ao entender os sentimentos dos seus usuários e compartilhar suas experiências com eles, irá criar confiança e isso irá aproximá-lo até mais do que antes.

Os sentimentos são uma ferramenta, não uma vantagem

É difícil reconhecer e agir de acordo com seus sentimentos ou com os de seu usuário, mas, como “UXers”, temos que lidar com isso todos os dias.
Como eu disse, use suas experiências e sentimentos para construir pontes entre você e seus usuários, mas não se perca em seus sentimentos em relação aos outros . Isso está prestes a criar experiências para seus usuários, não para você.

Não deixe que os sentimentos dominem, mas ouça o que eles têm para lhe dizer.

Deixe os dados guiá-lo

Embora os sentimentos sejam uma ótima ferramenta para levar em conta e como eles facilitarão seu trabalho, nunca devemos confundir e dar por certo o que sentimos como um sentimento global.

Este é um texto traduzido do blog UX Design. Para visualizar o artigo original clique aqui

Devemos confiar em métodos empíricos e dados. Somente os dados nos farão construir uma solução sustentável, escalável e consistente.

Compartilhe este artigo:

Guia de Estudos para Aprender Design por Conta Própria

Baixe o nosso guia e receba dicas e as novidades do Clube do Design no seu email:

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
5 dicas de como crescer criativamente em uma posição interna

5 dicas de como crescer criativamente em uma posição interna

Crescer em uma posição interna pode ser algo um pouco difícil mas essas dicas podem te ajudar.
5 desafios de carreira que todo designer enfrenta

5 desafios de carreira que todo designer enfrenta

Veja nesse artigo alguns desafios que os designer normalmente enfrentam em sua carreira.
Qual a melhor plataforma para desenvolver meu portfólio online?

Qual a melhor plataforma para desenvolver meu portfólio online?

Nesse artigo vamos responder a essa questão e te mostrar algumas opções para você criar o seu portfólio online de…
8 Dicas de Produtividade para Designers Gráficos

8 Dicas de Produtividade para Designers Gráficos

Aprende nesse artigo 8 maneiras de deixar seu trabalho como designer gráfico mais produtivo.
Fechar Menu