CorelDRAW Graphics Suíte 2017: Vale a pena atualizar?

A Corel Lançou nos últimos dias a sua mais nova versão da sua suíte de aplicativos gráficos, a CorelDRAW Graphics Suíte 2017, e neste artigo vamos fazer uma análise das principais novidades e avaliar se vale a pena investir na atualização neste momento.

Antes de começar, é muito importante colocarmos algumas variáveis que vão te ajudar a entender melhor sobre as últimas atualizações da Corel e o que isso pode trazer como resultado para o seu fluxo de trabalho ou pode influenciar na decisão de atualização dos seus aplicativos.

Hoje eu trabalho com muito mais frequência nos aplicativos Adobe, mas o Corel ainda está presente no meu fluxo de trabalho, principalmente nos projetos que envolvem impressão digital. O ponto forte da Corel ainda é a automação em processos de impressão, como imposição, livreto e dados variáveis.

Sim, eu sei que a Adobe possui dados variáveis ótimos no InDesign, e que o illustrator até se esforça pra oferecer algo do tipo, mas o CorelDRAW ainda é a alternativa mais prática, principalmente por que o InDesign é totalmente dependendo do Illustrator se você quiser combinar bons vetores com seus textos.

No trabalho eu ainda uso a versão X5, isso acontece por conta das políticas de segurança da firma e também por quê investimentos em softwares requerem uma certa burocracia, logo, este tipo de investimento só é feito se realmente for necessário.

Em casa eu utilizo a versão X7, mas até bem pouco tempo ainda usava a versão X6. A migração só aconteceu porque a Corel investe em um programa de anistia que permite adquirir uma versão de seus softwares anteriores por um preço muito abaixo do praticado comumente. Mais detalhes neste link e também neste vídeo, que é mais recente.

Dito isto, seria legal se você desse uma olhada na avaliação que eu fiz no lançamento da versão X7, publicada em março de 2014. Em linhas gerais, a CorelDRAW Suíte X7 foi a atualização que mais trouxe novidades realmente relevantes. Antes disso, a Corel fazia melhorias e implementava recursos menos significativos.

Depois da versão X7, a Corel retomou as atualizações que não acrescentavam recursos que impactassem de maneira significativa o fluxo de trabalho do usuário. Algumas melhorias em ferramentas e a opção de mudar a cor do espaço de trabalho na versão X8, mas nada de muito novo, o velho “mais do mesmo” para forçar usuários a trocarem de versão acreditando que teriam algum ganho significativo.

É bom deixar claro que não há nada de errado nisso, uma vez que a Corel também possui um plano de assinatura mensal, que permite aos seus usuários terem acesso instantâneo às atualizações e melhorias de suas ferramentas. Porém, os últimos investimentos da Corel em atualizações realmente relevantes tem ido pelo ralo, principalmente se você, como eu, utilizar a versão “full time” do aplicativo, ou seja, não paga uma assinatura.

Para que seja viável atualizar para uma nova versão pagando os quase 900 reais que a Corel exige para quem possui uma versão de licenciamento vitalício, o aplicativo necessitaria trazer recursos que fizessem a diferença no fluxo de trabalho, o que não vem acontecendo. Apesar de haverem uma ou outra mudanças que parecem promissoras, eu já posso ir adiantando que mudar para o CorelDRAW 2017 agora, se você usa licenciamento vitalício, não é um bom investimento.

O que mudou desde a versão X7?

Abaixo você pode ver uma tabela comparativa dos recursos disponíveis nas versões X5, passando pela X6, X7, X8 até a versão mais recente, 2017. Se ficar difícil de ler, salve a imagem no seu computador e abra no seu visualizador de imagens. Esta mesma tabela está disponível neste link. Foque nas linhas entre X7, X8 e 2017.

Atualmente você pode adquirir a versão X7 por apenas R$ 199,00 no programa de anistia. Então, com isso em mente, e analisando a tabela anterior, vamos a algumas observações importantes:

A grande maioria das “novidades” que apareceram na versão X8, em comparação com a versão X7, são ajustes de interface. Caixas de diálogo, ferramentas que são exibidas de maneiras diferentes, alguns recursos de gerenciamento de fontes, possibilidade de mudar a cor de nós e do espaço de trabalho. Fora isso, temos melhorias para monitores 4k e mais algumas melhorias no suporte para vários monitores.

Isso quer dizer que não temos nenhuma grande novidade, nada que faça a versão X8 ser no mínimo apreciável se você já tem a X7. A menos que você considere usar o aplicativo na cor preta um diferencial tão grande a ponto de pagar R$ 899 por isso.

O que mudou desde a versão X8?

Em um comparativo entre as versões X8 e 2017, vemos novamente ajustes de interface, mas com algumas diferenças, a partir de agora a Corel passa a se esforçar mais em implementar suporte a ferramentas de desenho, como Stylus, dispositivos Surface e o velho upgrade para monitores com resoluções tão altas quanto 5K.

Apesar de termos boas referências de profissionais nacionais e internacionais que usam o CorelDRAW para ilustração, esse nunca foi o forte do balãozinho verde, já que o seu leque de ferramentas para esta atividade sempre foi muito pequeno. Se você não sabe, a Corel possui um aplicativo muito famoso e muito utilizado por artistas digitais do mundo todo, disponível para Mac e PC, o Painter até então era a pegada mais voltada para ilustração da empresa.

Acredito que a Corel esteja tentando trazer um pouco mais de poder de ilustração para o Corel, começando por melhorar o suporte a hardware focado em desenho (todo mundo sabe o sufoco que é usar uma mesa gráfica com as ferramentas de mídia artística), mesmo assim, sem fazer muitas mudanças no conjunto geral do software.

LiveSketch

Talvez o único grande diferencial desta versão seja o novo recurso LiveSketch, que promete substituir a necessidade de fazer esboços em papel, transformando traçados de esboço que são reconhecidos via inteligência artificial em segmentos vetoriais contínuos.

Vale a pena atualizar?

Para concluirmos este post respondendo à pergunta que fizemos no título, temos três pontos de vista que precisam ser levados em consideração:

  1. Se você possui uma assinatura Corel, pode atualizar sem medo, afinal, você está pagando pra isso, e obviamente esta é a vantagem deste modelo, poder ter acesso a todos os recursos assim que são lançados.
  2. Se você usa licenciamento vitalício (aquele com um número de série que vale pra vida toda) e vai precisar pagar a bagatela de R$ 899,00 pela versão de atualização, não há motivo relevante para mudar de versão.
  3. Se você não tem uma versão original anterior, e está pensando em pagar os R$ 2.399,00 por uma licença, saia dessa! A versão X7 custa apenas R$ 199,00 (informações neste link) e traz todas as ferramentas que você precisa para a maioria esmagadora dos fluxos de trabalho. Além disso, a interface presente na X8 e 2017 não trouxe mudanças significativas comparadas a esta versão, é tudo mais do mesmo.

O canal Dicas do Greb publicou um vídeo mostrando a interface da versão 2017. Veja que ela é idêntica à da versão X7.

Como eu mencionei no começo deste artigo, no trabalho ainda uso a versão X5, e pode parecer que não, mas eu consigo desenvolver tudo o que preciso no dia a dia do escritório com esta versão, não havendo nenhum recurso indispensável nas versões mais recentes que me obrigue a mudar agora.

Em casa, com a versão X7, tenho acesso às mudanças mais significativas no espaço de trabalho e em algumas melhorias em ferramentas de preenchimento e de efeitos especiais. O que de modo algum afeta a minha experiência com a versão X5.

Finalizando

Chegamos no limite das implementações possíveis de se fazer em aplicativos de desenho vetorial. Dependemos do surgimento de novas tecnologias ou dispositivos que nos permitam novas experiências na utilização destes softwares, ou pelo menos, de novas grandes ideias que mudem completamente o cenário que temos hoje.

Tanto Corel quanto Adobe estão estacionadas em modificações que apenas melhoram a maneira com que você interage com as ferramentas destes softwares, e por isso, concorrentes como Affinity Designer e Affinity Photo começam a se destacar no mercado, pois oferecem as ferramentas que todo mundo usa, por um preço muito mais acessível.

Como eu sempre digo, vale a pena desenvolver habilidades em quantas ferramentas forem possíveis, não importa se tem a marca Corel, Adobe ou Affinity, e espero que com o aumento da concorrência, tenhamos softwares melhores, e mais acessíveis.

Compartilhe este artigo:

Guia de Estudos para Aprender Design por Conta Própria

Baixe o nosso guia e receba dicas e as novidades do Clube do Design no seu email:

Este post tem 5 comentários

  1. Boa noite! Estou querendo adquirir o produto, vi vários valores uns acima de R$2.000,00 é um a R$ 349,00 você poderia me ajudar, pois os fornecedores dizem que são o mesmo, estou com receio de comprar e cair em algum golpe.
    Obrigado pela atenção.

  2. Olá cara!!! Tenho o X5 (original), comprado há alguns anos. É possível fazer o upgrade para o X8 por R$ 899,00 à partir desta versão? Você possui algum link de/ou instrução para esta migração, vale a pena, pois estou de olho justamente no LiveSketch, ele é realmente funcional?

    1. Olá Edinelson, eu não tenho certeza se funciona de uma versão tão antiga assim, acredito que a upgrade seja apenas para a versão imediatamente após a que você tem (mas não tenho certeza). Entretanto, você pode comprar a X8 até muito mais barato que um upgrade, dá uma olhada neste post: https://clube.design/2017/coreldraw-x8-muito-mais-barato/
      Depois, dá pra fazer a migração de boas pagando apenas o valor de update. Pra comprar um upgrade, é só ir no site que ele mostra os dois preços.

  3. Olá, tenho o CorelDraw X5 oficial no PC e Notbook e de uma semana para cá depois, acredito eu, de uma atualização grande no Windows 10 ele nas duas máquinas da constantemente um erro “CorelDraw(R) parou de funcionar” ai só saindo e perdendo o trabalho. Já procurei alguma informação a respeito mas não encontro. Até então o unico problema com o Windows 10 era a menu la encima que desapareceu que fica somente legivel quando o ponteiro do mouse passa por cada item. Se tiver alguma dica ficaria muito grato.

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
10 dicas para criar ícones impressionantes

10 dicas para criar ícones impressionantes

Hoje, vou falar um pouco sobre o design de ícones a partir de uma perspectiva mais geral. Vou compartilhar com vocês…
Criatividade – Como pensar fora da caixa?

Criatividade – Como pensar fora da caixa?

A criatividade com certeza é a matéria prima de todo bom projeto de design, é ela que estamos buscando constantemente…
Novidades para 2019 do Clube do Design

Novidades para 2019 do Clube do Design

O Clube do Design trás novidades que reforçam o nosso interesse em te ajudar a descobrir a sua profissão criativa.…
Banner com efeito Visa no CorelDRAW

Banner com efeito Visa no CorelDRAW

Neste vídeo eu vou te ensinar como criar um banner usando o CorelDRAW. Nele vamos reproduzir um efeito usado na…
Fechar Menu