É difícil definir o que é mais importante, seja o que você vê ou o que você quer dizer.

A verdade é que a resposta é muito simples, se o que você vê não representa o que você quer dizer, você simplesmente tem um problema.

Este texto é uma tradução de Branzai. Confira o artigo original clicando aqui

A identidade é o que nos torna único, que representa o que somos diante dos outros, e é responsável por como o mundo nos vê de certa maneira. O que conhecemos como Imagem.

Muitos associam Identidade a um aspecto visual formal, e é aí que os maiores erros ocorrem quando se trata de conectar o que somos, com o que eles vêem. Como pessoa, sua identidade é definida, não apenas pela forma de como você é fisicamente, ou como você se veste. A maneira como você se relaciona, se expressa, reage, move, olha para o outro, define você.

As marcas devem entender que existem 4 Identidades Fundamentais que nos ajudam a alinhar “o que sou com o que veem”.

A Identidade Visual

Este é o único que todos sabem. É a Identidade mais relacionada à parte gráfica da nossa Marca.

É uma das maneiras mais fáceis de dizer ao mundo quem somos, sem sequer dizer uma palavra simples.

Formas, cores, símbolos, tipografias, gráficos, fotografias e sistemas representam uma idéia poderosa que define minha proposição de valor.

A Identidade Visual é conformada pelo logotipo, paleta de cores, tipografia, meu estilo ilustrativo, meu estilo pictográfico, meu sistema de marca e meu estilo fotográfico principalmente.

Ele é responsável por fornecer visualmente a transmissão do que eles podem esperar de nós.

A Identidade Verbal

“Fale comigo para que eu possa conhecê-lo”, disse Sócrates. O poder do uso das palavras é o espelho da alma.

A maneira como usamos a linguagem é diretamente proporcional ao que nos define, é uma porta para nossa personalidade, nosso propósito e nossa cultura.

Identidade Verbal é capaz de acelerar a construção do nosso significado, criar diferenciação e se conectar com os que nos rodeiam.

Nosso nome facilita que o mundo saiba quem somos, nosso tom de voz nos ajuda a ser único de nossa personalidade, a palavra-chave nos identifica sempre que eles aparecem e o Tagline nos ajuda a sintetizar em uma idéia simples, o complexo valor que temos.

Identidade Sensorial

O ser humano percebe o mundo através de seus sentidos, de modo que quanto mais informações ele recebe, mais completo fica o raio-x dele.

Hoje, as marcas estão por todos os lados, compartilham nossas vidas, existem em formatos cada vez mais audiovisuais, conectam todos os seus canais. Nós os tocamos, nós o cheiramos, nós os escutamos, nós os sentimos.

A capacidade de completar o significado do que vemos e acreditamos, com sensações que não podem ser descritas em palavras, com emoções que não podem ser explicadas, é algo que o separa e o torna único.

Sonic Branding, que inclui a criação das Marcas Sonoras, Music Maps e Jingles. Aroma Branding, que desenvolve fragrâncias que nos representam em espaços corporativos, comerciais, de produtos e de comunicação. E a Look and Feel Branding, que desenvolve texturas, superfícies e materiais únicos ao toque que projetam outros significados.

Identidade Atitudinal

O grande, esquecido e o mais importante. Você não é o que parece até você provar isso.

No final do dia, os seres humanos são definidos por suas ações. A capacidade de definir como atuamos, nos comportamos, nos relacionamos e até reagimos, é a maneira de definir quem realmente somos e o que eles podem esperar de nós. 

A Identidade Atitudinal compõe os Valores, que falam do que acreditamos. A Personalidade, que nos ajuda a entender como somos. Comportamentos que desenvolvem a maneira como atuamos. E Propósito, o que nos define o objetivo de fazer o que fazemos.

Se você tem uma marca, e você não possui nenhuma dessas Identidades para desenvolver, então você tem uma marca que não tem um sentido com o qual se relacionar.

Este texto é uma tradução de Branzai. Confira o artigo original clicando aqui

Num mundo em que já não competimos com outras marcas, mas com a atenção da que está à nossa frente, fornecer todas as opções para entender quem somos realmente é uma tarefa de sobrevivência.

No mais, Identidade não é Imagem.

Compartilhe este artigo:

Guia de Estudos para Aprender Design por Conta Própria

Baixe o nosso guia e receba dicas e as novidades do Clube do Design no seu email:

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
Como organizar seu desktop?

Como organizar seu desktop?

Você já viu uma tela de computador lotada de atalhos e arquivos formando uma verdadeira bagunça visual que não dá…
O MMA no design

O MMA no design

Um dos assuntos mais comentados hoje em dia em todas as mídias, com certeza é o MMA (mixed martial arts)…
Como um freelancer pode organizar as finanças pessoais?

Como um freelancer pode organizar as finanças pessoais?

Dicas que vão te ajudar a organizar seus recursos e evitar os riscos da instabilidade financeira.
Será que todo designer precisa de uma marca gráfica?

Será que todo designer precisa de uma marca gráfica?

Nesse artigo gostaria de falar sobre um post que li certa vez e que me deparei com essa questão. Depois…
Fechar Menu