Review – Livro Pensar com Imagens

O trabalho com imagens faz parte do nosso dia-a-dia como profissionais criativos e de comunicação. Muitas vezes precisamos expressar uma ideia ou transmitir um conceito utilizando como objeto principal uma imagem, seja ela uma simples fotografia ou uma fusão manipulada no Photoshop.

Nem sempre é simples transmitir uma informação através de imagens, principalmente por que há alguns temas extremamente difíceis de serem ilustrados. Nestes casos geralmente recorremos a peças carregadas de textos para que o leitor compreenda exatamente por que utilizamos determinada imagem.

Profissionais de design, ilustradores, diretores de arte se veem em um desfio constante de como utilizar imagens em seus projetos de maneira eficiente. Na maioria das vezes usamos imagens tão óbvias que se perdem em conceitos clichês e que não trazem nenhum atrativo para o espectador.

Que tipo de imagem você usaria para ilustrar uma peça publicitária que falasse sobre o câncer de pulmão?

Partindo de um conceito óbvio, você provavelmente pensaria em uma ilustração de um pulmão castigado, com sinais evidentes da doença. Ou quem sabe ainda uma pessoa debilitada, deitada em uma cama de hospital prestes a morrer?

Seriam as imagens mais óbvias e que nós acreditamos serem suficientes para expressar o que precisamos. Quando penso neste tipo de imagem me vem a mente aqueles cartazes que vemos nos postos de saúde, nada atraentes e que soam mais como uma ameaça muitas vezes ignorados pelo sentimento de medo e receio que causam ao serem observados.

Então por que não usar um tubarão? Por que não usar uma águia? Ou um leão? Por que não tentar utilizar um conceito mais atraente e que chame a atenção das pessoas de modo que prestem atenção na mensagem que estamos tentando transmitir?

A imagem acima faz parte de uma campanha criada pela agência Raro! propaganda para a AAPC para divulgar o Dia Mundial de Combate ao Fumo em 29 de agosto. Perceba como o conceito foi transmitido de uma maneira totalmente diferente, e conseguiu atingir o objetivo através de uma imagem expressiva e que fala por si só. O texto neste caso passa a ser apenas um suporte, complementando a mensagem que a imagem tenta transmitir.

O tubarão é capaz de comer peixes e outras criaturas marinhas em questão de segundos. Com uma só mordida pode eliminar um cardume inteiro, sem que haja tempo para que os peixes se deem conta do rival.

Você consegue enxergar como isto tem uma relação direta com a mensagem que a campanha tenta transmitir em relação ao câncer? Uma doença tão brutal que consome o seu órgão rapidamente de maneira selvagem?

Isto é o que podemos chamar de “pensar com imagens”, conseguir enxergar aquilo que não é óbvio e que tem um poder de comunicação e atração muito maior do que se usássemos imagens que representassem ao pé da letra um tema de uma campanha publicitária.

Através deste conceito o designer espanhol Eric Jardi publicou o livro Pensar com imagens, um livro que explica e exemplifica várias formas de se conseguir pensar utilizando imagens e assim conseguir transmitir mensagens bem trabalhadas e criativas em peças de design, publicidade e comunicação em geral.

Quando “lemos” imagens, nossa mente coloca em ação um processo completamente diferente daquele da leitura de um texto. Para extrair significado de uma mensagem escrita, o cérebro realiza um exame sequencial, avança linearmente, constrói o sentido do texto a partir da soma progressiva dos elementos que o integram: letras, palavras, frases e parágrafos. Para entender uma imagem, no entanto, o cérebro trabalha de forma muito diferente. Por meio de uma aproximação simultânea, sintética e global, todas as partes do conjunto são percebidas e processadas de uma vez, e o sentido da mensagem gráfica se revela em um só golpe.

Portanto, entender como devemos articular uma imagem para que o receptor, em sua visão de conjunto, interprete aquilo que queremos expressar, é fundamental para qualquer criador de imagens. Neste livro, Enric Jardí explica como funciona o processo de compreensão de imagens e compartilha com o leitor algumas das estratégias compositivas e estilísticas que podem ser empregadas pelos designers gráficos. Ele fala sobre recursos técnicos, tais como o uso da cor, da estrutura, da forma, dos signos, mas também sobre o emprego de elementos da retórica visual, tais como a metáfora, a ironia, ou o eufemismo, e sobre a importância do estilo para a comunicação visual.

Por meio da análise de sessenta imagens, que mostram o alto grau de engenhosidade que emerge do conjunto de seu trabalho, o autor nos oferece não apenas parte de seus conhecimentos, mas também o prazer de apreciar alguns exemplos magistrais de comunicação visual.

O livro

O livro impressiona pela abordagem direta e sem enrolação do tema proposto. Logo na capa você é desafiado a imaginar como representaria através de uma imagem o mal de Alzheimer. Em seguida o livro te mostra de maneira muito inteligente como este conceito é representado e trás comentários sobre como o resultado foi alcançado. Não vou mostrar a imagem aqui pra não estragar a surpresa. 😀

capa pensar com imagens

Muito mais do que “desconstruir” as peças publicitárias de maneira a entender como as imagens podem ser empregadas em seus projetos, o livro traz conceitos fundamentais para qualquer designer, como semiótica, uso de cores, símbolos. Um conteúdo rico principalmente para quem é estudante e gostaria de entender como estes conceitos são utilizados na prática.

A leitura é rápida e agradável, no final você fica com aquela sensação de “quero mais”. O livro tem um acabamento em cantos arredondados e folhas em papel cartão, acredito que cerca de 140 a 170 gramas. As páginas do livro seguem uma diagramação básica contínua, de um lado a página com a imagem e do outro a página com o texto explicando e dando exemplos práticos dos conceitos. É o tipo de livro que você não mantém guardado na prateleira o una estante, sempre será útil para pesquisar, buscar referências e rever conceitos que lhe ajudarão em seus projetos diários.

Sobre o autor

Enric Jardí nasceu em Barcelona em 1964.Estudou design gráfico na Elisava (Escola Superior de Design e Engenharia de Barcelona), onde leciona desde 1988. Em 1983, começou a trabalhar em diversos estúdios e, em 1992, fundou o estúdio Propaganda, no qual permaneceu até 1998, ano em que passou a trabalhar de forma autônoma.

Em 1991, fundou, com outros designers, o grupo tipográfico Type-Ø-Tones, que desenvolve fontes tipográficas distribuídas pela Font Shop (Berlim). Além da tipografia, seu trabalho se concentra principalmente no design de revistas, capas de livros e identidade corporativa.

Atualmente, coordena o mestrado em Tipografia Avançada do Centro Universitário de Design e Arte de Barcelona (Eina), ligado à Universitat Autònoma de Barcelona, e é professor do mestrado em Direção de Arte em Publicidade da Universitat Ramon Llull. Também colaborou, como professor convidado, com diversas universidades europeias. Em colaboração com Marcus Villaça, desenvolveu diversos projetos editoriais, tais como o redesign dos jornais Chicago Reader e Boston Phoenix. De setembro de 2005 até abril de 2009, foi presidente da Associação de Diretores de Arte e Designers Gráficos da Espanha (ADG-FAD).

É autor do livro Veintidós consejos sobre tipografia (que algunos diseñadores jamas revelarán) y veintidós cosas que nunca debes hacer con las letras (que algunos tipógrafos nunca te dirán), publicado pela editora Actar. Em outubro de 2009, recebeu o Prêmio Nacional de Cultura na categoria design, outorgado pela Generalitat de Catalunya.

Onde comprar o livro?

Você pode comprar o livro no Site da Editora GG e na livraria Cultura em duas versões, o livro, neste link, ou o ebook, neste link aqui.

Atenção! A Livraria Fnac tá com um precinho bem legal, você pode clicar aqui e conferir.

Conclusão

Um livro que você deve ter em sua coleção e que vai acrescentar muitos conceitos importantes para quem trabalha com comunicação e projetos criativos. Terminei o livro em dois dias e recomendo, você mergulha em uma leitura agradável e literalmente devora as páginas de maneira muito rápida, quando menos se espera, você conclui a leitura. Você começará a perceber as imagens de um jeito diferente, tendo uma visão mais ampla de como elas podem ser empregadas em seus projetos.

Espero que você tenha gostado deste review e ele te ajude a decidir comprar o livro. Ele já foi citado no meu post sobre Livros que você deveria ler. Recomendo que também dê uma olhadinha e conheça outros livros legais pra você aumentar o seu nível de conhecimento técnico e criativo. Se você tem uma opinião sobre o livro não deixe de nos contar nos comentários. Você também pode comentar sobre outras leituras que acha interessante.

Compartilhe este artigo:

Guia de Estudos para Aprender Design por Conta Própria

Baixe o nosso guia e receba dicas e as novidades do Clube do Design no seu email:

Este post tem 3 comentários

  1. Está mais barato na fnac

    1. Comprei uma coleção legal lá e realmente eles tem os melhores preços. Vou acrescentar um link da Fnac aqui também. 😀
      Um abraço!

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
Como organizar seu desktop?

Como organizar seu desktop?

Você já viu uma tela de computador lotada de atalhos e arquivos formando uma verdadeira bagunça visual que não dá…
10 dicas para criar ícones impressionantes

10 dicas para criar ícones impressionantes

Hoje, vou falar um pouco sobre o design de ícones a partir de uma perspectiva mais geral. Vou compartilhar com vocês…
Criatividade – Como pensar fora da caixa?

Criatividade – Como pensar fora da caixa?

A criatividade com certeza é a matéria prima de todo bom projeto de design, é ela que estamos buscando constantemente…
Novidades para 2019 do Clube do Design

Novidades para 2019 do Clube do Design

O Clube do Design trás novidades que reforçam o nosso interesse em te ajudar a descobrir a sua profissão criativa.…
Fechar Menu