GIMP não é uma alternativa para o Photoshop

Em uma de minhas madrugadas em claro resolvi fazer algumas pesquisas sobre o software livre GIMP. Há muito venho observando comparações e recomendações que elevam o GIMP como se ele fosse uma alternativa viável ao Photoshop. Já vi, inclusive, comparações do tipo GIMP x PHOTOSHOP analisando os recursos de cada um e colocando o GIMP como um corredor páreo ao editor de imagens da Adobe. Minha opinião sincera é que ainda falta muito para o GIMP se tonar tão versátil, eficaz e preciso como o Photoshop.

Eu acredito que o GIMP seja uma excelente alternativa para aprendizes, usuários de linux ou para quem não tem condições de comprar o software Adobe original, pelo menos não por enquanto. Mas dizer que ele é equivalente, e que é capaz de desempenhar as mesmas tarefas que o Photoshop, acho um exagero.

Encontrei um artigo legal que explica porque o GIMP não é uma alternativa ao Photoshop, fiz as devidas adaptações e compartilho nas linhas seguintes com você. Será que chegaremos às mesmas conclusões? Acompanhe!

GIMP não é uma alternativa para o Photoshop

O GIMP, um software livre e open source de edição de imagem, muitas vezes é considerado por alguns como uma alternativa para o Adobe Photoshop. Isto não é verdade. O GIMP nunca se projetou como uma alternativa ao Photoshop, e comparar o software livre com um mamute grande e caro, obviamente, é injusto.

Para quem ainda não têm conhecimento sobre o GIMP, veja a forma como o software se descreve:

“GIMP é o GNU Image Manipulation Program. É uma peça de software distribuído livremente para tarefas como retoque de fotos, composição de imagem e criação de imagem. Ele funciona em vários sistemas operacionais, em muitas línguas.”

Neste artigo, vamos avaliar o GIMP.

Neste artigo, vamos avaliar o GIMP.

No entanto, em vez de analisar o conjunto de recursos e outras informações que você pode encontrar facilmente na documentação do GIMP, meu foco será sobre aviabilidade do GIMP e sua utilidade potencial para designers.

Porque é injusto comparar GIMP ao Photoshop?

Considerando o fato de que o GIMP é o editor de imagens padrão para muitas distribuições Linux, e o Photoshop não está disponível para usuários Linux, o GIMP é anunciado pelos próprios usuários Linux como sua própria versão do Photoshop. Isto pode até parecer correto se olharmos por um ponto de vista diferente. Posso inclusive me identificar com esse sentimento.

Por exemplo, quando estou falando sobre o meu sistema Linux para um usuário não-Linux, e se ele ou ela me perguntar sobre o Photoshop, a minha resposta seria muito óbvia: “Não, nenhum Photoshop, eu só uso o GIMP”.

Mas, no final de tudo, o GIMP não se torna uma boa alternativa ao Photoshop só porque eu não posso ter o Photoshop no meu sistema operacional.

Não podemos ignorar o fato de que o Photoshop é, de fato, o padrão da indústria quando se trata de criação e edição de imagem.

O Photoshop estabeleceu-se como o software mais popular, em seu segmento, e qualquer editor de imagem, não importa quão bom ou ruim seja, tem de enfrentar uma comparação com o Photoshop em algum momento de sua vida.

No entanto, o Photoshop é um empreendimento comercial: Supostamente deve fornecer uma infinidade de recursos para seus clientes. E ele faz isso muito bem!

GIMP, por outro lado, é um software livre com um modelo de comunidade: tem usuários e aficionados, não clientes e compradores.

Naturalmente, se fôssemos comparar o Photoshop ao GIMP lado a lado, o Photoshop irá emergir como a entidade maior.

Além disso, a comparação das características de um programa de criação de imagem para outro é injusta em si mesma: a característica ausente em um programa hoje pode ser adicionada a ele mais tarde, ao passo que as futuras atualizações do programa B não pode viver acima das expectativas.

Além disso, a comparação das características de um programa de criação de imagem para outro é injusta em si mesma: a característica ausente em um programa hoje pode ser adicionada a ele mais tarde, ao passo que as futuras atualizações do programa B não pode viver acima das expectativas.

Principais Diferenças entre o GIMP e Photoshop

O que exatamente o GIMP tem a oferecer quando comparado ao Photoshop?

A principal diferença entre o GIMP e Photoshop é o preço.

O GIMP é um software absolutamente livre e de código aberto. Você está convidado a doar qualquer quantia para o projeto GIMP, se assim desejar, mas você tem a opção de usá-lo de graça, sem pagar um centavo.

Pelo fato de o GIMP ser livre pode ser realmente útil para um designer aspirante que deseja aprimorar suas habilidades de design, mas atualmente não tem capacidade de pagar pelo Photoshop. (foi o que eu disse alí atrás, hein)

O Photoshop custa 642,58 dólares na Amazon.com  ou US $ 19.99/month através da Adobe Creative Cloud, neste momento – preços que podem parecer muito, para designers iniciantes.

Em termos de requisitos de hardware, tais como requisitos de RAM e espaço em disco, o GIMP precisa de menos recursos de hardware do que o Photoshop.

Além disso, o GIMP é multi-plataforma. Você pode usar o GIMP em Mac, Windows, bem como Linux. O Photoshop, até agora, não está disponível para usuários de Linux.

Além disso, o GIMP é multi-plataforma. Você pode usar o GIMP em Mac, Windows, bem como Linux. O Photoshop, até agora, não está disponível para usuários de Linux.

Em termos de recursos, o Photoshop tem claramente mais recursos do que o GIMP.

Dito isto, o GIMP também tem algo a mais do que apenas um bom conjunto de recursos, a comunidade continua produzindo plug-ins fantásticos para GIMP, um após o outro.

Dito isto, o GIMP também tem algo a mais do que apenas um bom conjunto de recursos, a comunidade continua produzindo plug-ins fantásticos para GIMP, um após o outro.

Se tudo que você precisa é de um pequeno subconjunto de recursos do Photoshop, você deve considerar a mudança para GIMP, simplesmente porque você pode acabar pagando por recursos do Photoshop que você raramente irá usar.

Em contrapartida, o GIMP é notório por ter uma curva de aprendizagem maior. Eu não tenho usado muito Photoshop, por isso não vou entrar em afirmações extravagantes aqui, mas sim, apesar de eu amar o GIMP, devo admitir que eu acho que a interface de usuário pode ser confusa para um novo usuário.

Trocar do GIMP para Photoshop de um jeito mais fácil

Se você está migrando do Photoshop para o GIMP, você pode tentar o GIMPshop. Ele tem a mesma funcionalidade e características do GIMP, mas usa uma interface de usuário parecida com a do Photoshop em vez da interface padrão do GIMP (porém o GIMPshop não está disponível para Linux, infelizmente).

Fonte original

GIMP vs Photoshop: Qual é o veredito?

Você já usou o GIMP? Se sim, qual foi a sua experiência com ele? Você acha que ele tem a capacidade de competir com Photoshop? Dê a sua opinião nos comentários abaixo!

Ficou de nariz torto? Veja outras comparações e análises mais detalhadas aqui,

Compartilhe este artigo:

Guia de Estudos para Aprender Design por Conta Própria

Baixe o nosso guia e receba dicas e as novidades do Clube do Design no seu email:

Este post tem 0 comentários

  1. Ótimo artigo e bem direto para desmistificar as duas ferramentas. Acredito que seria como comparar um Netbeans com Visual Studio, todos os dois atendem a um público parecido, mas muitas vezes com finalidades bem distintas, o que gera uma discussão sem fim sobre um ser melhor que o outro.
    Para mim que uso pequenas edições e correções, o GIMP é uma ferramenta fantástica principalmente por causa da edição com camadas, mesmo para atividades simples como preparar um manual de usuário ou montar um mosaico de fotos.

  2. Interessante, mas eu ainda vou continuar utilizando o Gimp no meu Computador porque sou pobre e não estou afim de crackear o Photoshop :v :v :V

    1. No seu caso Mr. Atrasado, se não usa para fins comerciais e só eventualmente sem necesidade de um produto com ótimo acabamento em tempo mínimo, fique com o que lhe atende financeiramente mesmo.

  3. O Gimp não é ruim. O Photoshop é que é muito, mas muito superior. Em máquinas em que não tenho acesso ao Photoshop, uso o Gimp. Só que o tempo que demoro para tratar uma foto deteriorada no Gimp, eu demoro 1/10 do tempo no Photoshop. É como você construir uma casa. O Gimp te dá os tijolos, o serrote, o carrinho de mão, a chave de fenta, os parafusos, os pregos, o pincel e a tinta. O Photoshop lhe dá a serra de bancada, a parafusadeira, o grampeador de pregos, o compressor e a pistola de tinta pronta para uso. Para pequenos trabalhos em que não se precise de tempo mínimo, o Gimp atende. Já para quem necessita de alta produtividade, só o Photoshop.

  4. pelo que pude entender o gimp se torna uma boa opção para usuários básicos e intermediários, e para profissionais em inicio de carreira e o photoshop só compensa para quem de fato necessita usar seus recursos exclusivos.

  5. Estou usando o Gimp há 15 anos. O GIMP, out of box, não tem os mesmos recursos. Mas é impressionante como é expansível. E gratuitamente! O fato é que CMYK já não é uma necessidade para um designer, exceto arte-finalista: as imagens são convertidas com perfil de cores da gráfica, de modo que entregar arquivos de foto em CMYK é complicado. Mas o gimp tem plugin pra isso, ele chama-se “separate”.

    O gimp também importa vetores, importa PDF e uma infinidade de arquivos de imagem, mas não permite manipular curvas com qualidade. Com o plugin GMIC, o GIMP tem até mais filtros que o Photoshop, só para comparar. Tenho feito trabalhos complexos nele. Sim, o Photoshop tem muitos recursos extras, comparativamente, mas você os usa? Esta é a pergunta que faço a muitos designers. Mas o meio das artes gráficas é extremamente bitolado em Adobe: Mudou a cor da grama, já sabe, né?
    Meu portfolio está em http://brunomaiagiordano.wordpress.com

  6. O Photoshop é só publicidade, está ao alcance de uma elite que gosta de gasta …. é muito caro … o Gimp está ao alcance das nossas mãos em quase todos os fatores ,,,,

  7. Ainda estou esperando os argumentos a favor do photoshop. Só vi pontos positivos pro GIMP no que você argumentou. Acho que você não foi feliz no seu propósito, que era menosprezar o GIMP. Seja claro. Cite ferramentas. Desafie. Faça algo no photoshop que não é possível no GIMP.

    1. Olá Jailson, na verdade, existem muitas maneiras de comparar um aplicativo e outro. Isto já foi feito centenas de vezes em outros blogs (há um link no final do artigo para uma análise, e uma discussão calorosa nos comentários). O objetivo deste post é posto claro no trecho: “No entanto, em vez de analisar o conjunto de recursos e outras informações que você pode encontrar facilmente na documentação do GIMP, meu foco será sobre a viabilidade do GIMP e sua utilidade potencial para designers.” Não há argumentos rasos sobre recursos ou ferramentas, eles simplesmente não existem neste post.
      Um abraço!

      1. tambem achei infeliz a comparação,eu estou procurando motivos pra voltar ao ps porque odeio a interface do gimp,unico argumento que achei foi a falta do CMYK no Gimp,o que não é verdade,pois sempre tem algum hacker que faz um plugin copiando do ps,unico problema é ficar baixando plugin,dizem que não tem como comparar,minha o opinião até agora é que o ps é u programa compre e use,ja o Gimp é um programa baixe e configure,estou tendo dor de cabeça pra fazer uma interface,fiz uma dark que ficou um horror,esse papo que o ps é melhor por ser do mercado capitalista e tal,cada um sabe o que faz com seu dinheiro,e os acionistas da adobe se querem meu dinheiro tem que me convencer que eles tem os melhores hackers de criação de software,coitado dos hackers da adobe,aquele flash é só virus,porém concordo que o ps é um exelente programa,mas pelo preço precisa ser muito melhor que o Gimp,pra mim o resultado de ambos é igual ou não tenho olhos apurados,pra mim o gimp com todos os plugins instalado é uma cópia perfeita do ps,se o ps fosse grátis usaria pela interface porque de tantos proficionais que ouvi nenhum conseguiu apresentar uma prova de melhores resultados do ps sobre o gimp

        1. pois se faltar alguma opção no gimp nada que um script não resolva,e ta lá mais uma funcionalidade,pois é de código aberto,tenho o 3Dmax pago e o Blender gratis de código aberto,acho a interface do 3Dmax linda,memo personalizando a interface do blender chega a doer os olhos aquela interface horrorosa,mas só uso o blender,é mais rapido,mais leve,clicou abriu,excelente pra pequenas correções,abre,modifica e fecha enquanto o 3dmax esta em loading,e mesmo mudando todos os atalhos o blender pra mim é mais fácil de usar,não tem nada que o caro 3dmax faça que o blender não faz,unico incomodo é baixar plugin pro blender,mas depois que instala os plugins fica tão completo quanto o 3dmax que ja vem completo,o tal pegue e use

          1. Oi Beto, muito obrigado por mostrar o seu ponto de vista. Eu concordo com você em alguns pontos, principalmente na parte da funcionalidade. Um exemplo bem simples são os editores de textos, embora você possua recursos gratuitos muito bons, como o BR Office, e outras que inclusive já vem como ferramentas do próprio Windows, como o Wordpad, muitas pessoas, inclusive eu, preferem trabalhar com o Office 365, justamente por conta dos recursos ausentes nas versões livres. A preferência do usuário se sobrepõe à nossa opinião, assim como você acredita que não vale a pena investir no Photoshop, eu pago, e com gosto, para ter os recursos que ele me oferece.
            Um abraço!

  8. Há outras maneiras de colocar o GIMP com a cara do photoshop no linux.

    Em relação ao artigo. Uma vez mais pergunto qual o objetivo de quem usa o photoshop? Muito provavelmente todo o trabalho que lá vai criar será possível no GIMP.

    Estamos a falar de ferramentas. Não venham com a história que a melhor ferramenta vai fazer melhor trabalhos porque isso não é verdade. Tudo depende de quem usa estas ferramentas.

    1. Ola David, com certeza, concordo com você quando fala sobre o potencial de cada um.
      Em todo caso, não podemos nos esquecer que embora seja possível cavar um poço com uma colher, é muito mais fácil e prático fazê-lo com uma pá ou picareta.
      Há realmente o potencial por trás de cada um, de cada profissional, mas no artigo não estamos falando disso, estamos levando em consideração “apenas as aplicações” e não o usuário por trás de cada uma delas. É uma mera comparação de “recursos” e de maneira alguma pode ser tratada como uma comparação de habilidades profissionais, etc.
      Podemos olhar para estes aplicativos não como “uma única ferramenta”, mas como “caixas de ferramentas”, onde se alguma ferramenta te falta, por mais que você pouco a use, quando precisar dela, fará falta. Não se pode apertar uma porca com chave de fenda. 😀
      Muito obrigado pelo comentário.
      Um abraço!

  9. O GIMP é muito bom, e em alguns aspectos é comparável ao photoshop, principalmente no uso de memória, afinal, quem não tem um PC muito bom encontra muitos engasgos no photoshop até ao fazer coisas simples. Entretanto, quando vamos falar de edição de texto, o GIMP perde feio. Me decepcionei ao tentar fazer imagens com belos textos e ter que criar várias layers com efeitos usando delimitações no GIM para poder conseguir um bom resultado.

    1. Realmente! Com certeza se o GIMP recebesse investimentos maiores teria bons recursos. Não dá pra fazer muito sem dinheiro não é mesmo? Mas vamos torcer para ele ir crescendo e se desenvolvendo, afinal, temos excelentes ferramentas gratuitas disponíveis, elas tem potencial.

  10. Também uso o GIMP e também concordo que ele não substitui o PhotoShop.
    Mas não concordo com os motivos apresentados nesse artigo.

    Além do preço, da interface, e da quantidade de plugins, existe muita diferença entre os dois programas.

    O GIMP não dá suporte a vetor, por exemplo, o que impede que um designer gráfico ou ilustrador os importe para poderem ser retrabalhados no editor.

    Outra coisa difícil no GIMP são os efeitos de camada (sombra, contorno, volume…). Existe alguns plugins que simulam mas nem sempre permitem muito controle ou são de fácil manipulação.
    Não existe também agrupamento de camadas ou efeitos de cor sobre as camadas.

    O GIMP não é um programa ruim, utilizo-o a 5 anos, geralmente para para manipulação de fotografias, criação de banners, e outras coisas mais simples. Me atende muito bem nesse propósito.

    Gostaria que a comunidade do GIMP se pronunciasse.
    Seria muito interessante desenvolver melhorias para que ele possa atender cada vez a mais pessoas.

    1. O PHOTOSHOP também não dá suporte. Ele tem uma ferramenta auxiliar.
      O interessante é usar o GIMP aliado ao InkScape.
      Sobre o artigo, a imensa maioria das pessoas que pirateiam o Photoshop usa menos de 20% dos recursos do GIMP.

      1. Jânio, o Photoshop dá “suporte” sim, ele recebe vetores do Illustrator, PDF, EPS, etc. Ou seja, ele trabalha os vetores como vetores, e não como bitmaps. Isto é um grande diferencial. Só não entendi o que você disse como “ferramenta auxiliar”…

  11. A primeira vez que usei um editor de imagens decente foi o GIMP, lembro que na época para mim ele era o melhor, mas depois que migrei para o Photoshop, não consigo mais me imaginar usando o GIMP.

  12. Eu uso o GIMP, definitivamente ele não é comercial como PS, mas no geral é muito satisfatório. Perde realmente em precisão e até em certos tipo de efeitos; bem da pra enganar por muitas vezes.

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
10 dicas para criar ícones impressionantes

10 dicas para criar ícones impressionantes

Hoje, vou falar um pouco sobre o design de ícones a partir de uma perspectiva mais geral. Vou compartilhar com vocês…
Criatividade – Como pensar fora da caixa?

Criatividade – Como pensar fora da caixa?

A criatividade com certeza é a matéria prima de todo bom projeto de design, é ela que estamos buscando constantemente…
Novidades para 2019 do Clube do Design

Novidades para 2019 do Clube do Design

O Clube do Design trás novidades que reforçam o nosso interesse em te ajudar a descobrir a sua profissão criativa.…
Novidades do Photoshop CC 2019

Novidades do Photoshop CC 2019

O Adobe Photoshop CC 2019 chegou e neste vídeo você confere as principais novidades com melhorias de desempenho, atualização de…
Fechar Menu