Diário de um arte-finalista #6 – Minha arte deve ser feita em RGB ou CMYK?

Olá meu querido diário, quanto tempo hein? Realmente está sendo uma dureza trabalhar tanto. Não sobra tempo pra nada. Ultimamente quase não escrevo e isso tem que mudar o mais rápido possível.

Hoje quero falar de algo que acontece muito no meu dia-a-dia e ultimamente tem gerado grande discussão lá no nosso grupo do facebook. Na verdade é uma coisa que atormenta muito as pessoas e eu não sei porque, já que é tão simples quanto separar o feijão do arroz quando você vai almoçar na casa da sua avó.

Afinal, devo usar cores RGB ou CMYK em meus projetos?

Esta é a pergunta que não quer calar, mas a resposta é realmente muito simples. Eu poderia logo dizer qual usar, mas eu preciso explicar nos mínimos detalhes para que não haja dúvidas. Eu já falei sobre isso em alguns artigos, inclusive no nosso curso prático, e para que possamos definir qual o melhor modelo de cores para se trabalhar, precisamos conhecê-los individualmente.

Como eu não sou dono da verdade, e minha memória é uma porcaria, vou usar as palavras da Wikipedia para definir cada modelo de cores. Nota-se que RGB e CMYK não são os únicos modelos de cores que existem, mas são os mais conhecidos e difundidos.

Modo de cores RGB

RGB é a abreviatura do sistema de cores aditivas formado por Vermelho (Red), Verde (Green) e Azul (Blue). O propósito principal do sistema RGB é a reprodução de cores em dispositivos eletrônicos como monitores de TV e computador, “datashows”, scanners e câmeras digitais, assim como na fotografia tradicional. Em contraposição, impressoras utilizam o modelo CMYK de cores subtrativas.

O modelo de cores RGB é baseado na teoria de visão colorida tricromática, de Young-Helmholtz, e no triângulo de cores de Maxwell. O uso do modelo RGB como padrão para apresentação de cores na Internet tem suas raízes nos padrões de cores de televisões RCA de 1953 e no uso do padrão RGB nas câmeras Land/Polaroid, pós Edwin Land.

Leia mais aqui

Modo de cores CMYK

CMYK é a abreviatura do sistema decores formado por Ciano (Cyan), Magenta (Magenta), Amarelo (Yellow) e Preto(Black).

O CMYK funciona devido à absorção de luz, pelo fato de que as cores que são vistas vêm da parte da luz que não é absorvida. Este sistema é empregado por imprensas, impressoras e fotocopiadoras para reproduzir a maioria das cores do espectro visível, e é conhecido como quadricromia. É o sistema subtrativo de cores, em contraposição ao sistema aditivo, o RGB.

Ciano é a cor oposta ao vermelho (R), o que significa que atua como um filtro que absorve a dita cor (-R +G +B). Da mesma forma, magenta é a oposta ao verde (G) (+R -G +B) e amarelo é a oposta ao azul (B) (+R +G -B). Assim, magenta mais amarelo produzirá vermelho, magenta mais ciano produzirá azul e ciano mais amarelo produzirá verde.

Acho que nem preciso falar mais muita coisa hein? Mas de uma maneira bem simples, vamos por os pingos nos “is”.

O modo de cores RGB deve ser usado em projetos para internet, e aqueles que serão exibidos em telas de computador, televisores, projetores, ou aparelhos eletrônicos. Um botão para um site por exemplo, ou uma imagem que será colocada na home page da sua empresa. Ou também aquela foto que vai ser apresentada no projetor na sua reunião. Aquela foto que você quer publicar no facebook, a capa que vai ficar bonitona lá na sua timeline. Tudo isso tem de ser produzido e finalizado em RGB, pois os dispositivos usam este mesmo modo de cores para representá-las. Uma coisa que vale mencionar, é que como o RGB usa luz para representar as cores, ele pode representar um número de cores muito maior que o CMYK, usado nas impressoras.

Já o modo de cores CMYK é o que você deve usar sempre que for produzir algo que será impresso. Sim, panfletos, cartazes, cartões de visitas, fotos que vão ser impressas em impressoras domésticas ou offset profissionais, e por aí vai. Tudo isso deve ser criado e finalizado em CMYK. Se não, você terá problemas sérios com as cores, justamente por conta do que eu disse logo alí atrás, o modo CMYK não consegue representar a mesma a quantidade de cores que o RGB, e isso pode fazer com cores saiam diferentes na impressão caso você crie o seu projeto em RGB, e depois queira dar uma de engraçadinho (ou não) e imprimir a mesma arte. :/

Sempre produza seu material no modo de cores de saída. A menos que o seu projeto seja usado em vários tipos de mídia, aí você precisará ter um bom jogo de cintura. Um exemplo é um logotipo de uma empresa, que precisará ser colocado no site, mas também será impresso em papel. Neste caso, você deve produzir o material em CMYK, já que você precisará respeitar as limitações que ele tem, e só então, converta do CMYK para o RGB, assim você mantém a aparência das cores impressas, representadas na tela do computador.

Estou falando de maneira muito sintética, bem resumida, existem muuuuuuuitos outros segredos por trás disso, principalmente se tratando de gerenciamento de cores e dos tantos perfis de cores que cada espaço de cor (RGB ou CMYK) possuem. Geralmente, para cada tipo de saída, papel, impressora, é preciso escolher um perfil de cores que corresponda, para manter a fidelidade das cores. Mas isso é assunto para outro artigo.

Tudo o que você precisa saber por enquanto é isso: RGB para web. CMYK para impressão. Tudo certo?

Então até a próxima! 😀

Compartilhe este artigo:

Este post tem 0 comentários

  1. Como faço para converter de CMYK para RGB?

  2. Cara me ajuda…. EXISTE uma forma de imprimir a cor em rgb na gráfica que a cor vista no monitor fique bem próxima em CMYK… eu ja conheço a diferença e tal… só que um cliente sismou que quer e não tem argumento que faça mudar de ideia… ele que o bendito azul que apresentaram para ele em rgb…. kkkkk

    1. Não amigo. A menos que você encontre uma correspondente PANTONE, o que vai deixar o seu job muito mais caro.

  3. Ola, sou publicitário e sempre criei arte em photoshop em RGB, cuidando no olho para não usar as tons exclusivos do RGB.

    Durante a criação do arquivo, o modo RGB no photoshop permite aplicação defiltros que o modo CMYK não permite, além disso temos a questão de tamanho, um PSD em CMYK é consideravelmente mais pesado que um PSD em RGB.

    Uma vez pronta a foto, faço a alteração de cores e envio o jpg em alta e CMYK para outro programa (Corel, illustrator ou indesign) para o fechamento em PDF

    1. Se está se referindo ao Photoshop, sim, é a melhor maneira de se fazer, uma vez que o Photoshop permite habilitar as cores de prova, e “prever” o resultado CMYK, mesmo que esteja trabalhando em RGB. Todas as vantagens que você listou são realmente válidas, muitos filtros e efeitos não funcionam em CMYK.
      Um abraço! Muito obrigado por contribuir. 😀

  4. Boa tarde Liute…

    Meu nome é Mike, imprimo adesivos e banners de personagens pra por como decoração em festas. Percebo q principalmente adesivos, ficam pontos nítidos da impressão digital, não deixando sensação de qualidade na impressão.. Apesar de usar o Corel e carregar uma imagem acima de 1000×800,, e diminuir ainda para impressão. Todas as vezes salvei em rgb para a gráfica, eles nunca falaram nada. será esse o motivo de falta de qualidade.. Fui em outra gráfica e apresentou os mesmos pontos na impressão.. já os BAnners saem melhores… msm de perto.. Vou mexer co cartões de visita agora… ME ajude por favor se Puder.. GRato…

    Mike Gama

  5. Olá Liute. Tudo bem? Já trabalhei em gráfica e daí surgiu a vontade de aprender mais.
    Sou designer gráfico iniciante, trabalho mais com ilustração, sempre crio todas minhas artes em cmyk e quando preciso para web converto em rgb. Acompanho algumas fanpanges de designers “famosinhos” e percebo que a maioria só cria as artes em rgb e ainda usam cores bem neon, fico pensando na hora que for converter para cmyk a diferença grotesca que vai dar.
    Recentemente recebi um pedido de uma cliente para alterar algo na arte do cartão de visita, tive que explicar a ela que o tal designer famoso que fez a arte dela não converteu as cores para impressão e mandou a arte para impressão em cores rgb, além disso verifiquei muitos efeitos de transparência, gradiente, lentes, e alguns objetos vetoriais um atrás do outro, apagava digamos o braço da mascote e atrás do braço tinha outro braço em outra posição, me decpcionei ao ver uma arte tão bonita mas totalmente errada, tive que explicar que as cores iriam sofrer alteração devido a estarem em rgb e ainda tive que converter todos efeitos em bitmap.
    Porque será que alguns designers até conceituados eu diria, ainda fazem arte para impressão em cores rgb e não convertem os efeitos em bitmap? Deixam a arte poluída com um objeto atrás do outro. Ainda mandam o arquivo pra impressão desse jeito.
    Quem sofre é a gráfica! Muitas vezes o cliente não entende e fica bravo porque vai alterar a cor da arte.
    Complicado!!! Hehe
    Grande abraço.

    1. Taís, essa é a nossa luta diária. haushuashuah Mas faz parte do jogo, ganha quem sabe mais, e é bom se esforçar pra ser o que sabe mais. 😀
      Um abraço!

  6. Obrigado Liute Cristian, estou esclarecido, quando eu crescer quero ser igual a você, rsrsrs.
    Abraços..

  7. Neste caso, você deve produzir o material em CMYK, já que você precisará respeitar as limitações que ele tem, e só então, converta do CMYK para o RGB, assim você mantém a aparência das cores impressas, representadas na tela do computador.

    Boa tarde, Liute Cristian!
    Neste artigo você nos ensinou que se o material for ser exibida em monitores e também for ser impressa devemos cria-lo em CMYK e só depois então converte-lo para RGB, para mantermos a aparência das cores impressas, representadas na tela do computador, mas eu gostaria de saber se eu posso também criar meu material em RGB para usa-la em monitores e depois converta-la em CMYK para impressão? Pois as vezes o cliente pede para eu criar uma arte para rodar só na internet e depois resolve também imprimi-la.. Oque fazer nesse caso?

    1. Harlyton, a sua pergunta você mesmo respondeu. Seja qual for o projeto, se for usado para impressão, melhor usar CMYK. Imagine você criar um logotipo com um verde brilhante para ser usado em um site. Depois seu cliente quer imprimir este projeto e quer que saia igual ao que ele vê na tela. Impossível.
      Portanto, adote um gerenciamento de cores profissional. Existem máquinas que usam uma gama de cores semelhante a RGB, principalmente as plotters e máquinas de 6 cores, mesmo assim, não são todas as cores que podem ser representadas em uma impressão. A menos que seu cliente tenha bastante recursos para investir em tintas especiais.
      Um abraço.

Deixe uma resposta

Mais artigos pra você ler:
10 dicas para criar ícones impressionantes

10 dicas para criar ícones impressionantes

Hoje, vou falar um pouco sobre o design de ícones a partir de uma perspectiva mais geral. Vou compartilhar com vocês…
Criatividade – Como pensar fora da caixa?

Criatividade – Como pensar fora da caixa?

A criatividade com certeza é a matéria prima de todo bom projeto de design, é ela que estamos buscando constantemente…
Novidades para 2019 do Clube do Design

Novidades para 2019 do Clube do Design

O Clube do Design trás novidades que reforçam o nosso interesse em te ajudar a descobrir a sua profissão criativa.…
Como calcular tamanho de impressão, resolução de imagem e resolução de saída

Como calcular tamanho de impressão, resolução de imagem e resolução de saída

Quantos pixels deve ter uma imagem que vai ser impressa com 10cm a 300dpi de resolução? Tenho uma imagem de…
Fechar Menu